terça-feira, 23 de setembro de 2008

Relaxa!

De uma hora para outra, as conjeturas-conscientes-filosóficas transformaram-se em sensações, emoções, arrepios... com eles e elas, as constatações, percepções e entendimentos afloraram. É..., a punheta sem fim irrompe em um gozo de auto-entendimento. Finalmente gozaste, oh irresoluto!!!
Goza e relaxa! Não como o Marthiniano impera!!
Obrigado Lacan, obrigado Carlos Eduardo!

uma imagem vale por mil palavras

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Ficando velho ou ficando bem?


Quando chega um momento da vida da gente em que nos convidam para aniversários e percebemos que iríamos mais para não fazer feio do que pelo prazer de ir até lá, somos levados a nos questionar... "será que estou ficando velho e chato?".
Acho que isto é sintoma de outra coisa: "Estou ficando bem comigo mesmo!!"
Isso é confirmado quando percebemos que os verdadeiros amigos não ficam bravos quando furamos suas festas... Parabéns querido Denis, mas eu não fui na sua festa porque preferi ir para a praia relaxar, mas te amo mesmo assim!

Q'vrgonha...


Estou cá a ler as mazelas da fuga do imperador (ora príncipe regente) D. João IV para o Brasil... por ocasião da eminente invasão de Napoleão Bonaparte à Portugal. Trata-se do livro 1808 de Laurentino Gomes. Uma daquelas pérolas que não se ensina na escola, mas que todo papai deveria mostrar para seus filhinhos.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Pressionando bebês


Se por um lado minha sobrinha, filha de minha irmã, diz que os presentes que ganhou de mim foram dados pelo Alê, a sobrinha filha da irmã dele prefere falar comigo no telefone quando ele liga para ela. "Quiero hablar con Siiiiilbiooo"... diz ela.

Comprei a boneca Betty Boop... quem deu? "Foi o tio Alê"...
Comprei o livro de estorinhas... quem deu? "Foi o tio Alê"...
rsrsrs... será que é porque ele é careca também ou "apenas" mais popular que o Shreck aqui?

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

bicicleta e amoras


Tenho ido para o trabalho algumas vezes de bicicleta... é perto, barato, exercita e dá para olhar a paisagem. Hoje resolvi fazer uma alteração no trajeto e acabei passando por uma rua onde haviam várias amoreiras. Lá estou eu comendo amora debaixo das árvores na flor de minha vida.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Trégua


Tá, também tô lendo... "A trégua" de Mario Benedetti. Diria que estou apaixonado pela ironia de uma vida tão cheia de mesmices, olhada de uma forma tão bela. Tá, fiquei louco, escolhi o dia do meu aniversário para escrever montes de postagens neste blog... será que alguém lê isso? Vou tentar ficar quieto e não ficar divulgando, se bem que tem um link no Orkut.. assim não vale.
Dizem que eu deveria estar fazendo uma festa aqui em casa, bem... eu me desorganizei e deixei passar, talvez ainda haja tempo.

Uma coisa que eu não esperava fazer em minha vida era correr. Há muitos anos, quando li "Encontro com Homens Notáveis", do Gurdjieff, me amarrei na passagem que ele dizia que "quem corre é cavalo".
Achei perfeito, era minha desculpa definitiva para me livrar para sempre da acusação de "não correr". Hoje, após fazer em um pouco mais de uma hora (desculpe, o recordista faz em 29 minutos) os dez quilômetros do Human Race da Nike, sinto-me um pouco mais... cavalo.

Ensaio sobre a Cegueira


Ontem fui ver Blindness, posso dizer que Fernando Meireles arrebenta. A frase "uma imagem vale por mil palavras" encaixa-se bem aqui.
Momentos como o que as mulheres estão juntas ao redor de uma delas que acaba de morrer, ou a cena da chuva, enfim... são inesquecíveis.

Lembrar não é problema


Como hoje é dia de meu aniversário, recebi inúmeras mensagens no Orkut. Fico olhando aquelas mensagens e vejo que cada uma daquelas pessoas parou um instante o que estava fazendo para me mandar um feliz aniversário. Parece simples, corriqueiro, aliás nem é preciso lembrar, a interface faz isso... mas a questão é: elas pararam o que estavam fazendo para me mandar uma mensagem e isso é o que interessa.
Acordei nesta manhã com bolo na cama, recebi ligações, recebi visitas e presentes. Todas estas pessoas de alguma forma se lembraram de mim, pararam o que estavam fazendo e dedicaram alguns minutos de suas vidas para me fazer uma homenagem.
Vivo numa constante que pode ser chamada de "Felicidade", ou no mínimo, de "excelente e bem escolhido caminho que leva à ela".
Obrigado a todos!!

Sivuca